Dicas da Bete‎ > ‎

O mundo do vinho

postado em 12 de mai de 2015 11:07 por Bete   [ 12 de mai de 2015 11:07 atualizado‎(s)‎ ]

Taças que contam histórias

Sempre fui ciumenta em relação a minhas taças de vinho e de espumante. Não entendia muito por que. Mas nunca deixei que outras pessoas as lavassem. Temia que as quebrassem. Quebrei algumas eu mesma, é verdade, mas ficava sempre a impressão de que havia tomado todo o cuidado possível. Outra noite, sem querer, entendi o motivo de tanto ciúme.

Estou fazendo uma pequena reforma na minha casa. Uma raspagem de parquet (nunca mais faço de novo) me obrigou a uma limpeza geral que parece não conseguir acabar com a pó fino do assoalho. Mas como sempre tem um lado bom em cada coisa da vida. Lavando as taças, com todo carinho que merecem, percebi que tenho nas cristaleiras um pouco da minha história na gastronomia e um pouco da história do vinho brasileiro.

Minha participação nas Avaliações Nacionais do Vinho Brasileiro, em Bento Gonçalves, está registrada a cada ano, impressa em taças de vinho e de espumante. Assim como os Bailes dos Vinhos e Espumantes Premiados, no Hotel Dall’Onder, estão ali marcados no cristal. 

Sem contar taças que me foram presenteadas por amigos que fiz nas vinícolas gaúchas, outras que trouxe da Roda do Vinho do Porto ou a que traz na haste a marca da virada do século. Minhas taças guardam lembranças, por isso justificam meu cuidado excessivo em relação a elas. Se quebrassem, levariam parte da minha história.