Viagem‎ > ‎Pelo Brasil‎ > ‎

Pará

postado em 23 de abr de 2015 07:43 por Guilherme Caldas   [ atualizado em 23 de abr de 2015 13:09 por Bete ]

Mercado Centenário

    Se você acredita que conhece a cozinha brasileira, mas nunca foi a Belém, vai descobrir que ainda tem muito a degustar. O Pará reúne um manancial de ingredientes e sabores desconhecidos da maioria da população do país. Basta uma visita ao mercado Ver-o-Peso para ficar fascinado com a diversidade de produtos. Isso sem falar da saborosa cozinha e do receptivo povo amazônico.

    O Pará oferece aos visitantes diferentes emoções. Quem prefere a vida urbana pode se restringir a Belém. Mas quem gosta de ir mais a fundo nas experiências basta pegar um dos muitos barcos disponíveis e viajar pelas águas do rio Guamá, que banha a capital paraense, para desvendar um novo mundo.

 

    O início da jornada deve ser, obrigatoriamente, no símbolo da gastronomia amazônica, o mercado Ver-o-Peso, a maior feira livre da América Latina. Não esqueça o filtro solar e roupas muito leves, porque em Belém o calor é sufocante, devido às altas temperaturas e à grande umidade, o que causa chuvas rápidas todos os dias e o ano inteiro. Tem até uma brincadeira de que os paraenses marcam compromissos para antes ou depois da chuva.

 

    Aqui, uma pausa para uma curiosidade: em 1688, o Porto do Piri ganhou um posto fiscal, que era o lugar de ver o peso das mercadorias que saiam ou chegavam à Amazônia e arrecadar os impostos. Com o passar do tempo, se tornou Ver-o-Peso, um dos principais pontos turísticos do Pará.

 

 

    O mercado é dividido em setores. Comece conhecendo a área destinada à comercialização de peixes e frutos do mar. Certamente, você será surpreendido pela variedade de pescados de rio e de mar. Entre eles,  o filhote, de carne branca e firme, e o gurijuba, que é defumado com especiarias e conhecido como haddock paraense.

 

    

    O setor de farinhas desafia o conhecimento. São tantas as gramaturas que fica difícil escolher. Tem farinha fina, média, grossa e flocada. Farinha branca e amarela. Farinha de mandioca, de tapioca, para farofas, goma.

 

 

   Siga em frente e vá conhecer  o mais fantástico setor do Ver-o-Peso, o das frutas. Quem mora na região Sul ficará ainda mais encantado, afinal algumas delas dificilmente chegam ao outro extremo do país. Cupuaçu, buriti, taperebá, bacuri, jenipapo, guaraná, pupunha, jambo, açaí e graviola perfumam o ar. Nos meses de janeiro e fevereiro, é a safra de manga. 



    A castanha do Pará é o produto mais procurado, e o quebrador de castanha é atração turística.

 


    Não deixe de conhecer o Mercado de Ferro, área reservada às carnes. A estrutura foi transportada desde a Inglaterra e foi eleito uma das sete maravilhas do Brasil.

 

As barracas de comida do Mercado são concorridíssimas. Faz sucesso por lá o prato típico paraense, o pato ao tucupi  com jambu, erva que adormece a boca.


    No balcão, do café da manhã até a noite, pirarucu com açaí. O peixe é salgado como bacalhau. Tem ainda o pupunha cozido e passado na manteiga, a maniçoba, comida indígena conhecida como feijoada paraense que tem como ingrediente a maniva, folha da mandioca brava. De preferência com um toque de pimenta de cheiro, típica da região.

 

    Todas essas delícias, somadas ao artesanato, fazem do Ver-o-Peso um lugar para se conhecer e voltar muitas e muitas vezes.

   

 

 

Dicas


·      Mantenha um olho nas atrações do Ver-o-Peso e outro em seus pertences, os roubos são frequentes.

·      Confira as ervas e poções da mais famosa comerciante do Mercado: Bete Cherosinha. Ela garante que tem cura para tudo.

·      Deixe o preconceito de lado e experimente o pirarucu salgado com açaí e tapioca numa das muitas bancas locais.

·      Os sorvetes e os sucos naturais de frutas regionais são quase obrigatórios.,

 

 

O que comprar

 

Castanha do Pará

Queijo da Ilha de Marajó

Farinha amarela

Cachaça de Jambu

Pirarucu salgado

Chocolate da Ilha do Combu