Viagem‎ > ‎Pelo Rio Grande do Sul‎ > ‎

Vinhos e Vinícolas

postado em 27 de mai de 2015 13:23 por Anelise   [ 27 de mai de 2015 13:25 atualizado‎(s)‎ ]

Vida tranquila na  Don Giovanni

    Este texto poderia começar falando sobre os tantos predicados que descrevem a vinícola Don Giovanni, localizada a 12 quilômetros de Bento Gonçalves.
    Mas decidimos nos ater primeiro à pousada que divide terreno com a vinícola que iniciou sua trajetória como uma granja que pertencia à indústria de bebidas Dreher (lembra daquele do jargão “Deu duro, tome um Dreher” ?). Vocês entenderão o motivo!



    Junto à Don Giovanni, localizada em Pinto Bandeira (RS), funciona uma pousada especial, comandada pela família de Ayrton Giovannini e Beatriz Dreher Giovannini, a querida Dona Bita. Os sete apartamentos com amplas janelas que dão vista para o verde foram construídos em um casarão de 1930. 


    Em setembro de 2014, as habitações ficaram ainda mais especiais, porque ganharam personalidade a partir de obras de arte de artistas plásticos escolhidos a dedo por Dona Bita. Entre os artistas participantes estão os gaúchos Miriam Postal, Victor Hugo Porto, Alexandre Porto, Ivalino José Postal, Adelina Maioli e o uruguaio Armando González.




    Pelos dois andares da instalação, a gente tem a impressão de estar vivendo na casa dos Giovannini - devido à quantidade de objetos pessoais e delicadezas do imóvel, incluindo fotografias, livros e um piano.



    Pelo salão principal, decorado de maneira simples e pessoal, uma lareira aquece os dias frios e livros com imagens da região que fazem a gente sonhar. No verão, a piscina cercada por lavandas é um luxo!



    Para quem quiser ainda mais exclusividade, uma antiga casa que era utilizada como estrebaria da granja se transformou em espaço privativo para hóspedes. A habitação, cuidadosamente decorada, fica entre as árvores e, por vezes, é possível ver ovelhas passeando por ali em um lindo cenário bucólico.


    A ideia de experienciar a vida da família fica ainda mais evidente à noite, quando os funcionários (quase invisíveis) vão para casa e os hóspedes podem usar a cozinha e anotar o próprio consumo de vinhos e espumantes. Por confiança, os mesmos hóspedes recebem a chave da porta principal e ficam de “donos” da casa durante a noite.


    E é quando a lua aparece que surgem também os jantares harmonizados, geralmente sugeridos nas sextas e sábados. São três tipos de cardápio eleitos na hora da reserva. Um dos mais disputados é orgulho de Dona Bita, porque traz ingredientes colhidos pelo terreno da propriedade.

    Inicia com salada de folhas e ingredientes da estação, como figos frescos.



    No passo seguinte, vem à mesa risoto de alcachofra.


    Depois, frango com passas de uva, cebola e batata com alho e alecrim.



    O fechamento clássico é feito com cassata de sorvete com calda de espumante e figo rami. O jantar harmonizado com vinhos da casa custa a partir de R$ 95,00 por pessoa.



    Pela manhã, a rotina de boa vida desperta novamente. Em um salão muito simples, com mesa longa de madeira e vista ampla para o verde, é montado um café da manhã ao lado do fogão a lenha.


 Há sempre frutas, pães, sucos e bolo feito na hora. A refeição dá energia para a visita guiada à área de vinhos.



 Além do passeio pela área de produção e da degustação, há uma adega com exemplares antigos, como um espumante produzido em 1997. A visita pode ser estendida em uma caminhada pelos vinhedos e, para quem quiser e tiver fôlego, vale a pena levar um espumante e apreciar o pôr-do-sol em um mirante sobre uma caixa d`água instalada meio aos parreirais.



    A diária na pousada, com café da manhã, visita, degustação e todos os mimos de uma casa de família custa a partir de R$ 375,00 por casal e exige reserva antecipada.

Enfim, a história da vinícola!

    Bom, como já falamos, são muitos são os adjetivos que descrevem a vinícola que iniciou a própria história como uma granja que pertencia à indústria de bebidas Dreher. Atuando na época como estação experimental para desenvolver uvas, participou do primeiro envelhecimento de vinho em barris de carvalho no país.

    Depois, em 1982, quando foi adquirida pelo casal Ayrton Giovaninni e Beatriz Dreher Giovaninni, a querida Bita, se transformou em uma casa de veraneio, conservando parreirais e a produção de vinho.
       
  
Hoje a vinícola tem produção média de 120 mil garrafas por ano e entre as linhas de produtos destacam-se o espumante Dona Bita, elaborado pelo método tradicional 48 meses de maturação, e o espumante Stravaganzza Brut. Entre os vinhos tintos, está o premiado Tannat Don Giovanni, envelhecido em barricas de carvalho, é intenso.

Serviço

Onde: VRS 805, Linha Amadeu (28), km 12, Pinto Bandeira

Informações: (54) 3455-6293 e www.dongiovanni.com.br

Comments